FIQUE SÓCIO!

Monica Veloso
COMPARTILHAR

Igualdade Salarial, já!

Por Monica Veloso - Vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região  07 mar 2023

A jornada de luta das mulheres é uma trajetória para ocupar espaços. Neste sentido, muito já avançamos. Mas o machismo estrutural ainda nos coloca em cargos de baixa remuneração e, quando isso não acontece, mesmo desempenhando a mesma função que um homem, o salário é menor. Claro, existem as raras exceções.

Na última semana, o presidente Luis Inácio Lula da Silva disse que apresentará, em 08 de março, uma lei para garantir salário igual entre homens e mulheres na mesma função. A decisão será um avanço social. O fortalecimento da democracia no Brasil passa pela aprovação de igualdade salarial entre homens e mulheres.

Vivemos numa sociedade em que, segundo do Dieese, 50,8% dos lares são chefiados por mulheres. Ou seja, contribuímos para o desenvolvimento e crescimento econômico, dentro da estratégia de marcado de trabalho. No entanto, nem sempre somos reconhecidas profissionalmente na hora de receber os “vencimentos” de forma igual. Isso desencadeia uma série de fatores que aprofundam a desigualdade. Gera preconceito e discriminação dentro da empresa.

Passamos por um período que, embora tivéssemos avanços e dispositivos de legislação importantes que permitiam a construção do diálogo, após o golpe (2017) perdemos este espaço. Isso trouxe um cenário de retrocesso muito grande. Então quando temos do novo governo, já no início de mandato, o reconhecimento do papel das mulheres na econômica, no desenvolvimento e no crescimento do país, isso é, sem dúvidas, um grande avanço.

Neste 8 de março, vamos ganhar uma importante aliada a nossa luta: a “Lei da Igualdade Salarial”. E será a nossa luta e vigilância que tornará a prática em justiça social e a sociedade equanime que desejamos. Igualdade salarial, já.

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #11