FIQUE SÓCIO!

Miguel Torres
COMPARTILHAR

Corrigir a tabela do IR

Por Miguel Torres - Presidente da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos)  04 ago 2022

TAGS

Levantamento divulgado por auditores da Receita Federal mostra que a defasagem da tabela do IR (Imposto de Renda) chegou a 147,37%, considerando o período de 1996 –  ano em que deixou de receber reajustes anuais – a junho deste ano. Neste período, houve apenas pequenas correções nos anos de 2005 e 2015.

Só no governo de Jair Bolsonaro a defasagem está acumulada, até junho de 2022, em 26,6%. Sem a justa correção na tabela do imposto de renda, o “leão continuará mordendo” grande parte dos reajustes salariais dos trabalhadores.

Estamos tentando antecipar todas as campanhas salariais das categorias com data-base neste segundo semestre, para agilizar as negociações com os patrões e preservar o poder de compra dos salários da classe trabalhadora.

Acontece que milhares de trabalhadores que estão isentos passarão a ser tributados após os reajustes serem aplicados. Não corrigir a tabela é, portanto, uma forma de aumentar o imposto para essa numerosa parcela da população.

É preciso urgente reformar o sistema tributário e orientá-lo pela capacidade produtiva de cada brasileiro, pela revisão dos impostos de consumo e dos impostos sobre renda e patrimônio. Além disso, precisamos urgente de novo projeto nacional de desenvolvimento econômico, com tributação justa, empregos e democracia.

Corrigir a tabela do IR é uma forma de distribuir renda. A luta faz a lei!

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #11