FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Ministro do Trabalho anuncia medidas para reduzir acidentes de trabalho

Por Auris Sousa | 01 abr 2015

O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, anunciou na terça-feira, 31, um conjunto de medidas da Estratégia Nacional para a Redução dos Acidentes do Trabalho no Brasil neste e no próximo ano. Dias já havia comunicado a divulgação das medidas aos representantes dos trabalhadores em reunião na sede do nosso Sindicato.

Segundo a pasta, objetivo é reduzir os acidentes de trabalho no país e intensificar as fiscalizações. A ação se faz necessária porque só nas metalúrgicas da nossa base acontece um acidente grave ou fatal a cada 15 dias. Os dados fazem parte da Pesquisa Acidentes Graves e Fatais nas Metalúrgicas, realizada pelo Sindicato.

Conforme informou em reunião no Sindicato, na terça-feira, 31, ministro do Trabalho lançou plano contra acidentes

Durante o lançamento da medida, “A OIT [Organização Internacional do Trabalho] prevê que 4% do PIB [Produto Interno Bruto] mundial, US$ 2,8 trilhões, são perdidos em decorrência de acidentes de trabalho, mas, para o Estado, também há uma consequência social”, disse o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias.

Em nota, o diretor de Segurança e Saúde no Trabalho, Rinaldo Marinho, explicou que a estratégia prevê quatro eixos, dois mais ligados à intensificação da fiscalização e dois ligados à mobilização da sociedade pela prevenção de acidentes de trabalho.

“O INSS [Instituto Nacional do Seguro Social] deixa de gastar, mas não estamos tirando benefício do trabalhador e, sim, evitando que ele precise ter acesso a ele. Claro que a consequência natural disso é uma economia nas despesas, mas o principal objetivo é evitar todo o custo social, pessoal, emocional do que esses acidentes representam”, disse Marinho.

Segundo ele, uma das ações previstas é dobrar o número de auditores fiscais do trabalho envolvidos nas ações de prevenção, seja pelo remanejamento de auditores de outras áreas ou por contratações por concurso público. Informação que também já tinha sido passada pelo ministro do Trabalho, Manoel Dias.

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #08