FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Militantes repudiam apoio da Unifieo ao golpe contra a democracia

Por Auris Sousa | 03 jun 2016

Membros da Frente Brasil Popular do Oeste Metropolitano se reuniram na quarta-feira, 1º, em ato em frente a Unifieo, em Osasco, para repudiar o apoio público da faculdade ao presidente interino, Michel Temer. Militantes também fizeram panfletagem para informar aos estudantes a posição da Unifieo.

De acordo com a Frente Brasil Popular, o apoio da Unifieo ao golpe contra a democracia foi confirmado na edição 20 do jornal Correio Paulista, que circula na região de Osasco. Nela, a faculdade publicou um anuncio que cumprimentava Michel Temer por ter chegado à Presidência da República. “O fato de uma faculdade de Direito apoiar um golpe de Estado contra a democracia é algo extremamente grave”, diz o panfleto distribuído pela Frente Brasil Popular.

Para o diretor do Sindicato Gilberto Almazan, “uma universidade dessa importância deveria ter, pelo menos, aberto um diálogo com a sociedade, envolvendo alunos, professores, organizações, sobre este processo que está ocorrendo no país”.

[wppa type=”slide” album=”299″]Any comment[/wppa]

Com o microfone na mão, Cida Lopes, membro da Frente Brasil Popular, disse que a faculdade tem o dever de desenvolver o senso crítico de seus alunos e não pode apoiar um golpe. Além criticou a conduta da Unifieo de fazer os cumprimentos ao Governo interino de Temer também em nome de seus professores e funcionários. “Será que a direção da Unifieo consultou todos os seus professores e funcionários? Entramos em contato com alguns professores que nem sabiam do anuncio. Isso não se faz”, ressaltou Cida.

Cida também defendeu a presidenta Dilma Rousseff, afastada de seu mandato desde 12 maio. “A presidenta Dilma não cometeu nenhum crime de responsabilidade, motivo pelo qual se justificaria o impeachment que estão tentando contra ela. Como não conseguiram vencer nas urnas, os inimigos do povo brasileiro, com o apoio do capital internacional e dos EUA, tentam a todo custo tomar o poder no país”, avaliou.

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #06