FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Metalúrgicos da Darvo e Novex protestam por melhorias

Por Auris Sousa | 23 jan 2014

Com luta, foi assim que começou a quarta-feira, 22, dos metalúrgicos da Darvo e Novex, ambas de Santana de Parnaíba. Os companheiros se uniram para reivindicar por avanços no local de trabalho, entre eles: pontualidade no pagamento do vale alimentação, melhorias no fornecimento da refeição, Plano de Cargos e Salários.

Trabalhadores da Darvo e Novex se uniram por melhorias

O protesto mostra que os trabalhadores estão organizados junto à nosso entidade e dispostos a entrar em greve caso as reivindicações não sejam atendidas.  “O Sindicato está atento aos direitos dos trabalhadores e vamos cobrar uma resposta da empresa”, ressaltou o líder sindical, Carlinhos.

Para um metalúrgico da Darvo, a situação desmotiva. Isso porque se tornou comum, após o almoço, os companheiros retornarem ao trabalho insatisfeitos com a refeição servida. “Tem dias que vem pouca comida a ponto de não sobrar mistura para quem almoça nos últimos horários, por exemplo”, explicou.

Ele conta que se sente desrespeitado, porque todos os mêses uma porcentagem da refeição é descontada de seu salário, mas há dias não se alimenta da forma que deseja. “É uma falta de respeito com o trabalhador. Chego no horário, cumpro minhas tarefas, ter uma refeição de qualidade é um direito meu”, avaliou.

[wppa type=”slide” album=”135″][/wppa]

Sem informação – Um companheiro da Novex reprova a postura da empresa. “A situação está tensa, não temos confiança na empresa. Ninguém dá explicação: do atraso do vale, da situação das refeições. Tem gente aqui que nem conhece o rapaz do RH [Recursos Humanos] porque ele fica no escritório em São Paulo e nunca aparece”, explicou.

Outro metalúrgico da Novex concordou. “O mais difícil é ficar sem informação. Precisa ter mais diálogo entre a empresa e os trabalhadores”, defendeu.

Sindicato de olho –  O diretor, Alex da Força, enfatizou que a entidade vai exigir respeito aos direitos dos metalúrgicos. “Queremos a garantia dos direitos dos trabalhadores. Café e almoço no horário combinado e ambos de qualidade”, reforçou.

Após o ato, os diretores protocolaram a pauta de reivindicações dos trabalhadores, que também pedem a abertura das negociações da PLR (Participação nos Lucros ou Resultados).

 

 

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #03