FIQUE SÓCIO!

Opinião
COMPARTILHAR

Jorge Nazareno

Por Auris Sousa | 21 out 2013

TAGS

Opinião

Ampliar a luta para garantir o aumento real.

Foram necessários 22 dias de greve para que os bancários vencessem a resistência de um dos setores que mais lucram neste país e arrancassem 8% de reajuste salarial, incluindo 1,82% de aumento real. Foi a persistência a principal responsável pelo resultado.

Sem dúvidas, para os metalúrgicos do Estado de São Paulo, a persistência também é o caminho para que possamos ter um resultado vitorioso na nossa Campanha Salarial. Na mesa de negociações, como já era esperado, os grupos patronais estão irredutíveis.

Em contraposição, vemos a indústria de veículos crescer 13,9% no acumulado deste ano, de acordo com a Anfavea (Associação Nacional de Veículos Automotores). Já o faturamento da indústria aumentou 1,3%, na comparação de agosto de 2013 com agosto de 2012, segundo a CNI (Confederação Nacional da Indústria). Setores como equipamentos de transportes se destacaram, com avanço de 25,8% na mesma base de comparação.

Ou seja, assim como ocorreu com os bancários, é a luta que vai fazer esses números se reverterem em aumento real para a categoria. Por isso, vamos ampliar a pressão por meio dos mutirões e nos preparar porque a possibilidade de greve é concreta, a julgar pelo posicionamento dos patrões na mesa de negociação. É hora de ampliar a luta.

Jorge Nazareno
Presidente do Sindicato dos
Metalúrgicos de Osasco e Região
[email protected]

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #07