FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Inclusão supera os 100% em metalúrgicas da região de Osasco

Por Cristiane Alves | 25 nov 2015

As metalúrgicas da base territorial do Sindicato confirmam seu compromisso com a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, já que a média de contratações é de 103,7%. O resultado foi divulgado na terça-feira, 24, pelo Sindicato, que, por meio do Espaço da Cidadania, analisou o cumprimento da Lei, as vésperas da fusão dos ministérios do Trabalho e da Previdência, na reforma ministerial feita pela presidenta Dilma Rousseff.

O levantamento tem como base o questionário respondido por metalúrgicas de 12 municípios da região de Osasco. É uma prévia do estudo que por anualmente o Sindicato divulga em fevereiro. O estudo será base para acompanhar a evolução das contratações nos próximos meses, frente às mudanças ministeriais e a crise econômica e também para o Sindicato buscar junto ao Ministério do Trabalho e Previdência Social a reativação do Programa de Inclusão na região, que está abandonado desde o início do ano.

O índice é resultado de  trabalho acumulado de vários parceiros pela inclusão. Desde 2002, a região é vanguarda no trabalho de sensibilização das empresas para a inclusão. Um dos alicerces é o trabalho focado na orientação das empresas e, no limite, as multas para aquelas que se negam a cumprir a lei.

Ao longo dos últimos anos, empresas como Cinpal, Corneta e Meritor se tornaram referências na inclusão para a região e para o país. E a avaliação não poderia ser mais positiva. “Eles criaram um laço de amizade muito grande, é realmente uma equipe”, afirmou Thalita Sampaio Moretti, analista de Recursos Humanos da Corneta. Na Cinpal, todos os trabalhadores têm as obrigações e direitos. “É realmente um trabalho de inclusão, dentro da empresa eles são iguais”, ressaltou Ana Lúcia da Cruz Soares.

A divulgação aconteceu no auditório de uma empresa do setor de autopeças, a Meritor, em Osasco. A escolha do local se deve ao fato de que, apesar de ser um dos mais afetados pela crise econômica, as autopeças da região de Osasco permanecem na liderança das contratações. O índice médio é de 111,8%. “Há três anos fomos à Gerência do Trabalho e fizemos um cronograma de contratações. Às vezes, a sanção não é o mais importante, o diálogo e o acompanhamento fizeram a gente chegar nessa situação que estamos hoje”, ressaltou Carlos Ricardo Calegari, do Setor de Recursos Humanos. A empresa conta com 34 trabalhadores incluídos pela Lei de Cotas.

O companheiro Fabio Aparecido dos Santos Feitoza se sente realmente incluído na Meritor. “Trabalho desde 2008 na linha de montagem de eixos e me sinto bem porque não sinto discriminação porque a gente faz o que a gente pode fazer. Isso aumenta mais sua força de vontade”, explica.

É a demonstração do compromisso com a inclusão, na opinião do vice-presidente do Sindicato e coordenador do Espaço da Cidadania, Carlos Aparício Clemente. “O setor automotivo tem uma cláusula na Convenção Coletiva específica sobre contratações de pessoas com deficiências, que foi renovada agora em novembro pela 4ª vez”, afirma.

 

Clique aqui para acessar a íntegra da pesquisa

 

[wppa type=”slide” album=”265″][/wppa]

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #03