FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Força Sindical apresenta à câmara ações que podem substituir MPs

Por Auris Sousa | 26 fev 2015

A Força Sindical apresentou na quarta-feira, 25, uma série de ações ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, que podem substituir as MPs (Medidas Provisórias) 664 e 665, que dificultam acesso a direitos trabalhistas e previdenciários.

Presidente da Força Sindical, Miguel Torres, apresentou propostas que podem substituir as MPs

As medidas passam a valer a partir de março. Entre elas está o aumento do prazo de seis para 18 meses para saque do seguro-desemprego. Por isso, que as centrais querem a suspensão imediata das medidas provisórias.

“O que queremos é a revogação das medidas porque elas tiram direitos. Já está na praça a perda deles. Nós temos propostas que podem levar a uma economia de R$ 111 bilhões. Não é justo mexer nos direitos dos trabalhadores”, afirmou o presidente da Força Sindical, Miguel Torres.

O pacote da Força Sindical propõe sete medidas: taxação sobre grandes fortunas, imposto sobre lucros e dividendos distribuídos, tributação sobre remessas de lucro, taxação de aeronaves e embarcações de luxo, combate da fuga de capitais e fluxos ilícitos, DRU/FAT e desonerações do PIS/Pasep- FAT.

Outra alternativa apresentada pela Força Sindical é regulamentar o artigo 239 da Constituição Federal que multa empresas com alta rotatividade de funcionários.

Cunha disse aos sindicalistas que o Congresso está aberto ao debate e que facilitará a participação dos trabalhadores nas discussões das comissões especiais que têm que ser formadas para analisar as medidas provisórias.

Pressão – Para pressionar o Congresso a revogar as medidas, na próxima segunda-feira, 2, as centrais sindicais realização atos em frente as Superintendências Regionais do Ministério do Trabalho de todo o país. [Com informações da Força Sindical]

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #08