FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Aumenta o número de pessoas que se declaram negras, aponta Ipea

Por Auris Sousa | 14 maio 2013

O aumento da população que se declarou como negra nos últimos de anos foi um dos temas abordados pelo presidente do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), Marcelo Neri, em palestra realizada no Memorial da América. O evento foi organizado na segunda-feira, 13, pela Faculdade Zumbi dos Palmares em comemoração aos 125 anos da Abolição da Escravidão no Brasil.

Neri explicou que houve reversão inédita nas séries de pessoas que se autodenominam pretas, seguindo classificação do IBGE. Para ele, esse fato espelha um passo histórico decisivo contra o preconceito racial, com mais brasileiros afirmando ser negro.

“A participação de negros na população brasileira no período de 2000 até 2010 foi de 44,6% para 50,9%. Desde a virada do século, as pessoas estão se declarando mais negras, principalmente aquelas com maior nível de educação e de gerações mais novas”, afirmou.

Avanços socioeconômicos

Neri ainda apontou a significativa participação dos negros na Nova Classe Média. Segundo o estudo Vozes da Nova Classe Média, realizada pela SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos) – onde Nero é ministro-chefe, os negros representam 75% dos novos entrantes na classe média brasileira.

Ele ainda destacou o aumento da renda entre os negros brasileiros. Explicou que em2012, a renda domiciliar per capita dos negros subiu 8,5%, e a renda geral per capita, 5,1%. “O dado demonstra que a saga da ascensão afrodescendente não acabou”, pontuou.

Para ele, o país começar a dar sinais de avanços e melhoras na questão da igualdade racial. “O Brasil foi o último país do mundo ocidental a abolir a escravatura, há 125 anos, mas as mudanças reais estão acontecendo. É um retrato com cicatrizes sociais profundas, mas está bem melhor do que era há dez anos.” [Com informações do portal Ipea]

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #01 - 2023