FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Após 126 da abolição, trabalho escravo ainda existe no Brasil

Por Auris Sousa | 14 maio 2014

Segundo MTE, Garulhos, em São Paulo, ocupa o segundo lugar em número de trabalhadores encontrados em condições análogas a escravidão na construção civil

Nesta quarta-feira, 13, o Brasil comemora os 126 da abolição da escravatura no Brasil.  A escravidão foi “extinta” com a Lei Áurea há 126. No entanto, o trabalho escravo, desumano, ainda existe, é o que reforça os dados divulgados hoje pelo MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

Só em 2013, o MTE resgatou 2.063 trabalhadores em situação análoga a de escravo, num total de 179 operações realizadas em todo país. As autuações da pasta resultaram em mais de R$ 8 milhões pagos a título de verbas rescisórias e foram lavrados 4.327 autos de infração em face das irregularidades encontradas.

O município de Conceição do Mato Dentro, Minas Gerais, ocupa o primeiro lugar em número de trabalhadores encontrados em condições análogas (173) na construção civil. Garulhos ficou na segunda posição com 111 trabalhadores nas mesmas condições também no setor da construção civil. 93 trabalhadores foram resgatados no setor de alimentação no Rio de Janeiro, 85 na coleta da palha da carnaúba em Granja, Ceará, e 70 da construção civil em Itaberaí, Go.  (GO).

As atividades com maior incidência de ações fiscais nas quais foram identificados trabalhadores em situação análoga à de escravo, em nível nacional, foram a pecuária, construção civil e agricultura. Por sua vez, as atividades nas quais houve o maior número de trabalhadores resgatados, em todo o país, foram construção civil, agricultura e pecuária.

Sindicato na luta por trabalho decente

Por cenários como estes é que a nossa entidade não abre mão da luta pelo trabalho decente. E luta cada vez mais pela ampliação de direitos da categoria. Se você, conhece alguém que trabalha em condições análogas a escravidão denuncie! [Foto: Sinterc]

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #10