FIQUE SÓCIO!

Sindicato na Imprensa
COMPARTILHAR

98,9% das oportunidades são preenchidas. Espaço da Cidadania auxilia na conscientização

Por Auris Sousa | 15 fev 2015

O coordenador do estudo e vice-presidente do sindicato, Carlos Aparício Clemente

A colocação profissional das pessoas com deficiência não é mais um tabu nas metalúrgicas de Osasco e região. Ao todo, 98,9% das vagas geradas pela Lei de Cotas (8.213/91) até dezembro de 2014 estavam preenchidas. É o que mostra a 9a Pesquisa sobre Trabalhadores com Deficiência no Setor Metalúrgico, divulgada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região em parceria com a Gerência Regional do Trabalho, no último dia 11. A pesquisa tem como base questionários respondidos pelas metalúrgicas situadas nos 12 municípios da base territorial do Sindicato, compreendendo matrizes e filiais. Nas matrizes, a contratação alcança 99,7% e nas filiais – que não são obrigadas a contratar – chega a 93,9%. Em muitos casos, as empresas extrapolam a cota definida pela lei. É o caso, por exemplo, das empresas do setor de autopeças, cujo índice de contratação é de 111,9%. O setor com menor índice de contratação é de fundição, com 79,1%. Durante o ano de 2014, o sindicato criou oportunidades de esclarecimentos para empresas e trabalhadores sobre como ampliar o aproveitamento do potencial de trabalho de pessoas com deficiência no setor. A inclusão da temática em seminários e publicações constantes, visitações a empresas que já cumpriam a legislação, a entidades especializadas e órgãos públicos, abriram possibilidades para as empresas participarem e conhecerem locais que já eram referência na inclusão, principalmente por meio do Espaço da Cidadania (www.cidadania.org.br). Para o coordenador do estudo e vice-presidente do Sindicato, Carlos Aparício Clemente, a pesquisa fornece elementos para incentivar as políticas públicas e as empresas que ainda não cumprem a lei. “Permite induzir políticas públicas regionais e também conversar com as empresas que, às vezes, dizem que não conseguem contratar. Porém, agora não tem desculpa, uma vez que a concorrência está contratando”, avaliou. [Fonte: O Amarelinho/Link: http://oamarelinho.com.br/noticias/2015/2/866-metalurgicas-de-osasco-exemplos-na-contratacao.aspx]

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #08