FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Sindicalista de Curitiba é libertado

Por Cristiane Alves | 23 nov 2012

A pressão da comunidade e do movimento sindical pela liberdade do sindicalista Nelson Silva de Souza, o Nelsão deu resultado. O diretor nacional de mobilização da Força Sindical e diretor do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba foi libertado na tarde de ontem, logo após um protesto na porta da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde Nelsão estava preso há oito dias.

O líder sindical estava preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde o último dia 14, juntamente com outros seis moradores de Campo Largo. A prisão aconteceu quando participavam de uma manifestação no km110 da BR-277, em frente à empresa Metalin. A comunidade de Campo Largo reivindica a construção de uma nova trincheira no local, já que desde que a concessionária que administra a Rodovia, a Rodonorte, fechou o acesso que existia no sentido Curitiba, os moradores tem que voltar para Campo Largo para fazer o retorno e pegar a pista que leva à capital, o que totaliza um trecho de 12 quilômetros e um gasto adicional com combustível, manutenção do veiculo, além de tempo.
O advogado de Nelsão, Wilmar Alvino da Silva, questionou a prisão do sindicalista, e principalmente, a tipificação dos “crimes” atribuídos a ele. “Se exigir uma melhoria para a população for considerada formação de quadrilha, o que dizer então do movimento que a própria Polícia Federal fez nos últimos tempos, com bloqueio de aeroportos, operação tartaruga, mobilizando toda a categoria em prol de melhoria salarial? Não é formação de quadrilha? É uma situação idêntica, é defesa de direito, é defesa de interesse da coletividade. E a mesma que o Nelsão fez, ele estava defendendo o interesse do cidadão, nada mais. O que aconteceu nesse caso foi um verdadeiro atentado à democracia, à liberdade de expressão e manifestação”, afirma o advogado.

Luta continua

Muito emocionado ao rever familiares, amigos e companheiros de trabalho após mais de uma semana preso, Nelsão afirmou que vai continuar a luta em defesa dos moradores de Campo Largo e região. Amanhã, dia 23, às 17h, a comunidade local fará um novo protesto na BR-277para exigir a construção da trincheira. “Não vou me calar. Minha luta em defesa da comunidade continua. Vamos seguir reivindicando até que a Rodonorte atenda o nosso pedido e faça a trincheira o mais rápido possível”, afirma Nelsão.

Após saber da prisão, a Força Sindical e seus sindicatos iniciaram uma mobilização social pela liberdade dos manifestantes, incluindo Nelsão.

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #01 - 2023