FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Prevenção é o segredo para uma vida melhor, diz especialista

Por Auris Sousa | 25 jan 2013

Prevenção foi a palavra chave do 4º encontro da Semana dos Aposentados, promovido pelo Sindicato na quinta-feira, 24, na sede da entidade. No encontro, que marca a programação de celebração do “Dia Nacional do Idoso”, o responsável por passar as informações sobre saúde a categoria foi o doutor Paulo Moura.

[wppa type=”slide” album=”43″][/wppa]

Ele disse que com o passar dos anos o corpo humano sofre um desgaste natural. Logo, pessoas a partir dos 30 anos de idade devem tomar medidas preventivas para ter uma vida mais longa e saudável. “Após os 30 perdemos todos os anos 1% da nossa capacidade vital, por este motivo devemos tomar medidas preventivas para que este processo pare ou estabilize”, explicou.

A prevenção deve ser ainda mais rigorosa após os 45 anos. Segundo Moura, a partir desta idade certos exames, como sangue, colesterol, diabetes e urina, devem se tornar rotina.

Orientação que Josias Francisco dos Santos, metalúrgico aposentado desde 1994, segue a risca. Ele que sofre de pressão alta desde 1979, toma remédios controlado e não toma nenhum outro medicamento sem prescrição médica. “Faço meus exames preventivos sempre e mão mudo a dose dos meus remédios sem antes falar com o meu medicou”, enfatizou.

Atividade Física – Depois dos 60 anos as atividades físicas devem fazer parte da vida dos idosos, principalmente daqueles que por um bom tempo não as praticou. De acordo com o especialista, para esta faixa etária o exercício essencial é a musculação. Isto porque à medida que a pessoa envelhece, ela vai perdendo massa muscular, que pode ser adquira com a musculação, hidroginástica e pilastes.

“A pessoa não precisa ficar ‘marombada’ e pegar muito peso. Se preferir pode fazer hidroginástica ou pilastes”, alertou o especialista. Segundo ele, com a hidroginástica e com o pilastes o praticante “ganha massa muscular e não força as juntas”.

Atividade sexual – Durante a palestra, Moura também falou sobre a atividade sexual na melhor idade que, diferente do que muitos pensam, faz muito bem a saúde e não deve ser ignorada.

Logo, a relação sexual na melhor idade não deve ser deixada de escanteio. O problema é que algumas doenças, como diabetes e colesterol, afetam a capacidade de ereção do homem. Mas para isso já existem medicamentos que podem colaborar com uma ereção eficaz. Contudo, antes de tomá-lo o mais indicado é procurar uma orientação medica.

“Medicamentos como os de pressão alta e cardiológicos, por exemplo, não podem ser combinados sem prescrição médica com os para ereção, porque podem provocar mal-estar no usuário, explicou.

Moura diz isso diante da possibilidade da combinação destes medicamentos causarem problemas. Por isto que qualquer remédio só deve ser usado após uma avaliação médica, que, no caso de medicamentos para ereção, poderá diagnosticas o mais adequado para cada um.

“A palestra foi muito gratificante e instrutiva”, avaliou o aposentado Ari Bueno.

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #03