FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Luto na Cinpal

Por Auris Sousa | 20 set 2022

TAGS

Mais uma tragédia na região. A categoria metalúrgica perde mais um companheiro nesta terça-feira, 20, vítima de acidente de trabalho: Ademar Aparecido de Souza, de 63 anos. O Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região acompanha o caso e já solicitou fiscalização do acidente, que aconteceu na Cinpal Matriz, em Taboão da Serra.

O companheiro estava fazendo manutenção em uma máquina no setor de forjaria, quando uma peça caiu sobre ele. José Célio Barbosa Vargas, de 54 anos, também estava lá, foi hospitalizado, sofreu ferimentos leves e já teve alta. “Mais uma vez um trabalhador perde a vida por conta de trabalho que pelo que vimos não oferecia qualquer segurança aos trabalhadores. O Sindicato já acionou os órgãos competentes e exigimos mais segurança para que novos acidentes não aconteçam”, enfatiza o diretor do Sindicato Marcel Simões, que também trabalha na Cinpal.

Só neste ano, este é o segundo acidente fatal que acontece na Cinpal. O primeiro foi aquele que, em 22 de fevereiro, tirou a vida de Ailton Aparecido Duarte de Andrade, de 48 anos. “Solicitamos a fiscalização, mas ela aconteceu exatamente um mês depois do acidente. Só em julho tivemos acesso ao relatório de inspeção do Ministério do Trabalho e Previdência, que confirmou a falta de segurança no local de trabalho. A empresa, então, recebeu cinco autos de infração”, lembra Marcel.

Em luto, os trabalhadores do setor de forjaria da Cinpal foram para casa e terão o dia abonado pela empresa.

Desmonte da fiscalização

As más condições de trabalhado são apontadas pelo Sindicato como as principais causas para que os acidentes continuem acontecendo, somado a isso a falta de fiscalização. Tanto que criou um documento que denuncia esta situação e o entregou para diversas entidades. Entre outros pontos, ele destaca: “só no Estado de São Paulo, o déficit de auditores fiscais é de aproximadamente 85%.”

“Os trabalhadores estão largados a própria sorte. A população precisa saber disso e a gravidade que isso representa. Só hoje, perdemos dez companheiros, sendo nove vítimas de um desabamento na fábrica Multiteiner, em Itapecerica da Serra. Se as estruturas do Ministério do Trabalho não estivessem sucateadas, provavelmente, estes acidentes poderiam ter sido evitados”, alerta Marcelo Mendes, diretor do Sindicato e membro do Diesat (Departamento Intersindical Estudos Pesquisas de Saúde e Ambientes de Trabalho).

 

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #01 - 2023