FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Índios guaranis perdem terras no Pico do Jaraguá

Por Auris Sousa | 25 ago 2017

Os índios guaranis perderam uma injusta queda de braço. Na segunda-feira, 21, o Ministério da Justiça anulou a portaria nº 581, de 2015, que garantia mais de 500 hectares de terra à reserva indígena dos guaranis no Pico do Jaraguá, em São Paulo. Com a anulação, o território passará para apenas 3 hectares.

Na publicação no Diário Oficial da União, o governo Temer alega erro administrativo e que a reserva “foi demarcada sem a participação do estado de São Paulo na definição conjunta das formas de uso da área”. É um total desrespeito, na reserva tem quase 700 pessoas, sendo que mais de 400 são crianças.

De acordo com agências de notícias, os índios já tinham planos de usar suas terras para diversas tipos de plantio de milho, mandioca, batata doce e até amendoim. Ao todo, eles enfrentam quatro processos de reintegração de posse. Diante de total retrocesso, os guaranis decidem resistir, e planejam protestos e ações na Justiça contra a decisão.

Conflito de interesses – Em entrevista ao portal R7, os índios afirmam que a portaria atende a um interesse do governo do Estado, que pretende conceder o parque do Jaraguá — cuja área integra a região demarcada — à iniciativa privada. E eles podem ter razão, a privatização de empresas e áreas públicas tem tido destaque na grande imprensa, que nos últimos dias tem repercutido o anuncio do Governo Federal de colocar à disposição da iniciativa privada a administração de 14 aeroportos, 11 lotes de linhas de transmissão, 15 terminais portuários, além de parte da Eletrobras. Tudo isso, mais uma vez, com a desculpa de melhorar o caixa da União e estimular a economia. [Com agências de notícias]

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #03