FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Cresce número de metalúrgicas da base paradas na greve geral

Por Auris Sousa | 28 abr 2017

TAGS

A organização dos metalúrgicos na greve geral, desta sexta-feira, 28, está forte e só cresce na região de Osasco. Trabalhadores de fábricas, como Wap Metal, Cimaf, Alvenius , Rossini e Metalcoating também pararam a produção. Mais cedo, metalúrgicos da Meritor, Belgo, Metalsa, Cinpal confirmaram que entenderam a orientação do Sindicato: de não sair de casa.

Trabalhadores da Wap Metal fazem parte dos companheiros que decidiram parar e fortalecer a greve geral

Ao mesmo tempo, também cresce a participação do Sindicato em atos organizados pela região, como na cidade de Osasco e Taboão da Serra. Os dois atos reúnem trabalhadores de diversas categorias, como metalúrgicos, bancários, comerciários, frentistas, e movimentos sociais. Todos estão unidos contra as reformas trabalhista e Previdência que, se aprovadas, trarão grandes prejuízos para a vida dos trabalhadores.

Em Osasco, o ato acontece no Lago de Osasco e deve percorrer as principais ruas da cidade. Já em Taboão da Serra, a passeata acontece na Regis Bittencourt, perto da saída 272, tendo só uma faixa liberada para os carros e conta com o auxílio da polícia rodoviária federal. O ato tem apoio da população por reclamar direitos.

Em Osasco, ônibus voltaram para garagem; ato segue firme

“A contratação por jornada intermitente, que é você trabalhar algumas horas por dia e não ter nenhuma garantia, é uma das propostas colocada para gerar emprego. Mas temos que lembrar que em dezembro de 2014 nós tínhamos pleno emprego, e não tinha terceirização, não tinha mudanças na legislação trabalhista, então é uma falácia dizer que não dá para concertar. É preciso investir na produção, se tem problema eles precisam ser discutidos e debatidos e atropelados e enfiados a goela abaixo”, enfatizou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Jorge Nazareno, em ato que acontece em Osasco.

A adesão dos metalúrgicos à greve geral é uma escolha da própria categoria, que aprovou sua participação em assembleia, realizada na sede do Sindicato em 7 de abril. Até então o Sindicato realizava assembleias desde janeiro para esclarecer a todos os trabalhadores os prejuízos que cada um terá, caso as reformas trabalhista e da Previdência propostas pelo governo Temer forem aprovadas. Após assembleia que definiu a participação dos metalúrgicos de Osasco e região na greve geral, estes atos foram intensificados para organizar a greve geral.

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #01 - 2023