FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Combate a violência e avanços das mulheres na Convenção Coletiva são destaques de Seminário

Por Auris Sousa | 23 ago 2022

Foi num sábado, 20, cinza que a força das mulheres ecoou na sede do Sindicato pelo enfretamento à violência contra as mulheres e pela garantia de mais diretos na Convenção Coletiva. Numa roda de conversa, companheiras e companheiros conversaram sobre igualdade de gênero e o papel de cada um na construção um pais justo.

Gleides Sodré, ex-diretora do Sindicato foi a voz responsável por tirar todos da zona de conforto, ao falar em alto e trágico som: “No Brasil, três mulheres morrem por dia simplesmente por serem mulheres”. O dado não é um achismo, tampouco um “chute”. Ele consta no Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Segundo ele, em 2021, cerca de 1.340 mulheres foram vítimas de feminicídio, ou seja, morreram simplesmente por serem mulheres. “Não podemos ficar a parte de um problema tão grave. Não podemos ficar calados diante da violência. Precisamos ser umas pelas outras, umas pelos outros, uns pelas outras e um pelos outros”, enfatizou Gleides.

Direitos na Convenção – Foi a participação de companheiras em seminários como o que aconteceu no sábado que contribuiu para que direitos específicos de mulheres entrassem nas convenções coletivas da categoria, entre eles:

– GARANTIA A TRABALHADORA QUE SOFRER ABORTO: garantia de emprego por 60 dias para trabalhadoras que sofrerem os tipos de aborto previsto na legislação;

– GARANTIA A TRABALHADORA VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR: a trabalhadora poderá tirar licença remunerada de 30 dias, desde que seja apresentado o boletim de ocorrência. A empresa pode solicitar a compensação das horas;

– LICENÇA MATERNIDADE DE 180 DIAS: Independente de fazer parte do programa Empresa Cidadã, a licença maternidade deve ser de 180 dias;

– AUXÍLIO CRECHE: Percentual (variável entre 20% e 30% do piso da categoria, conforme o grupo patronal) a ser pago às trabalhadoras de empresas com pelo menos 20 trabalhadoras.

As cláusulas foram detalhadas por Roberto Anacleto, assessor econômico do Sindicato, que também falou sobre os impactos da reforma trabalhista, conjuntura econômica, desafios desta campanha.

 

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #08