FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Centrais prometem um 2013 de mobilização

Por Cristiane Alves | 07 jan 2013

Depois de reunião em 17 de dezembro, o Fórum das Centrais Sindicais (CUT, Força Sindical, CTB, UGT e Nova Central), aprovou a seguinte resolução (ou nota):

1-      Trabalhar no sentido de viabilizar em 2013 uma ampla mobilização nacional em torno da agenda da classe trabalhadora por um novo projeto nacional de desenvolvimento orientado por três valores fundamentais: valorização do trabalho, soberania e democracia;

2-      Realizar no dia 6 de março uma grande manifestação em Brasília com o objetivo de defender as bandeiras imediatas e históricas do sindicalismo contempladas no projeto nacional das centrais, destacando o fim do fator previdenciário, a reforma agrária (CONTEMPLAR CONTAG) e a redução da jornada de trabalho sem redução de salários;

3-      Lutar contra o sucateamento do Ministério do Trabalho e pela revalorização do órgão;

4-      Reiterar a crítica à política econômica, apesar de reconhecer os avanços em relação às taxas de juros e spread bancário, tendo em vista a manutenção de uma política fiscal conservadora, ancorada num superávit primário que deprime a taxa de investimentos e impede o atendimento das demandas sociais, no câmbio ainda flutuante e na excessiva liberalidade em relação ao capital estrangeiro, que estimula a desnacionalização da economia e o aumento das remessas de lucros ao exterior;

5-      Criticar a falta de disposição do governo e da presidenta Dilma para a negociar a agenda desenvolvimentista da classe trabalhadora, o que ocorre em notório contraste com o tratamento VIP dispensado aos representantes do capital;

6-      Cerrar fileiras pela manutenção e ampliação dos direitos e conquistas sociais e combater a retomada de uma agenda regressiva, postulada pelo patronato, que propõe a supressão de direitos trabalhistas a pretexto de reduzir o chamado Custo Brasil;

7-      Conclamar todas as categorias a preparar campanhas salariais unificadas, com a participação de todas as entidades representativas dos trabalhadores, e ao conjunto dos movimentos sociais, sociedade civil e forças democráticas e progressistas a participar solidariamente no esforço de mobilização nacional em torno da agenda pelo desenvolvimento com valorização do trabalho, soberania e democracia.

 

Wagner Gomes, presidente da CTB (Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil)

Vagner Freitas, presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores)

Paulo Pereira da Silva, Paulinho, presidente da Força Sindical

José Calixto Ramos, presidente da NCST (Nova Central)

Ricardo Patah, presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores)

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #01 - 2023