FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

Prevenção é o principal remédio contra Ler/Dort

Por Auris Sousa | 28 fev 2014

Ilustração mostra os movimentos e posturas que provocam LER/DORT

Nesta sexta-feira, 28, comemoramos o Dia Internacional de Prevenção às Ler (Lesões por Esforços Repetitivos) ou Dort (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). Por isto nesta data é importante ressaltarmos a importância de diagnosticar esta doença e, principalmente, de exigirmos das empresas que medidas de prevenção sejam tomadas.

Pesquisas realizadas por especialistas da Fundacentro, mostram que a LER/DORT é uma doença crônica, invisível, muitas vezes irreversível. Ocorre principalmente pela intensificação do trabalho e representa um desgaste do sistema musculoesquelético de trabalhadores, em atividades que exigem a execução de movimentos repetitivos, associados muitas vezes a esforços físicos e manutenção de determinada postura por tempo prolongado.

“Costumam evoluir de forma lenta para quadros crônicos e assim nem sempre são percebidas precocemente pelos trabalhadores, que retardam a procura por auxílio com receio de repercussões negativas na empresa, agravados por situações de discriminação e assédio moral, o que lhes causa sofrimento e transtornos mentais, com grande impacto em suas vidas e de suas famílias”, divulga a Fundacentro em nota.

Diante disso, o conselho é não deixar aquela dorzinha nas costas, no ombros ou em outra região do corpo passar despercebida. O diagnóstico precoce pode evitar que a doença se torne irreversível.

Missão das empresas – Do lado patronal, as empresas devem adotar ações prevencionistas para que a doença não acometa o trabalhador. Isto porque a prevenção pode ser feita através de várias medidas. Conheça algumas delas:

– Estudos e modificações ergonômicas dos postos de trabalho;

– Uso de ferramentas e equipamentos ergonomicamente adaptados ao trabalhador;

– Estabelecimento de pausas para descanso;

– Diversificação de tarefas;

– Eliminação das pressões de chefia e de produção;

– Eliminação do clima autoritário no ambiente de trabalho;

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #11