FIQUE SÓCIO!

Notícias
COMPARTILHAR

60 anos do Golpe: Movimentos cobram medidas por reparação e justiça

Por Auris Sousa | 03 abr 2024

Reparação, Justiça e Democracia foram pedidas em ato na sede do Sindicato, na segunda-feira, 1º, quando representantes de sindicatos, movimentos sociais, partidos políticos e familiares de vítimas da ditadura civil militar relembraram o golpe civil militar de 1964. A ato faz parte de uma série de ações organizadas pelo Cissor e centrais sindicais para reforçar: “ditadura e tortura nunca mais”.

Zé Pedro, ex-diretor o Sindicato, fez questão de participar do ato. Ele foi uma das vítimas da ditadura. No ano passado, ele obteve anistia política e recebeu pedido de desculpas do Estado brasileiro pela perseguição sofrida.

Roque Aparecido da Silva, uma das lideranças da greve de 68, também foi perseguido, preso e torturado. “Me penduraram no “Pau-de-Arara” e praticaram todo tipo de violência. A mais horrorosa foram os choques elétricos, com corrente 220 volts nas partes mais sensíveis do corpo”, disse ele, que também estava no ato. 

“Não podemos permitir que este passado seja esquecido. As novas gerações precisam saber o que de fato aconteceu, que pessoas foram perseguidas, torturadas e mortas. Os crimes da ditadura civil militar não podem ficar impunes, queremos reparação, justiça e a vigilância constante da democracia”, enfatizou o secretário-geral do Sindicato, João Batista.

Ditadura Nunca Mais – O deputado Estadual Emídio de Souza destacou que “precisamos martelar o tempo todo os prejuízos que a ditadura causou, principalmente ao povo brasileiro e ao desenvolvimento do Brasil”, disse ele que enfatizou: “Vocês podem contar com o meu mandato como trincheira da luta contra a ditadura, trincheira da memória dos que tombaram, trincheira daqueles que vão batalhar para que a ditadura e seus mal-feitos não sejam esquecidos jamais, para que, nesse país, não se assista mais tortura, não se assista mais perseguição política. Então, vamos manter a memória: ditadura nunca mais!”. 

Veja trecho do documento que fala da Greve de 68: 

 

Jornal Visão Trabalhista EDIÇÃO #09